Agressões a Jogadores do Sporting: Como é que um SEO analisa a situação?

Featured Snippets Google

As agressões a jogadores do Sporting esta tarde, 15 de Maio de 2018, foram um dos temas mais falados do dia. Como é que um SEO olha para esta situação, como se podem utilizar dados para optimizar o conteúdo que é publicado online? Recentemente tivemos um webinar sobre SEO para Jornalistas e hoje – pelos piores dos motivos – há um exemplo prático de como o SEO pode colaborar na escrita online.

Primeiro, é possível entender quando é que as procuras por Sporting no Google tiveram mais impacto e quando é que começaram a decrescer. Pelos dados fornecidos pelo Google Trends, é possível ver que as procuras pelo termo “Sporting”, em Portugal, obtiveram o maior “pico” por volta das 17 horas de Lisboa.

Procuras por Sporting no Google

Também é possível ver que esta situação da agressão a jogadores do Sporting na Academia de Alcochete fez com que se tivesse batido o record de procuras no Google por “Sporting”. Nunca antes (dados a partir de 2004) se tinha procurado tanto por Sporting, em Portugal.

Procuras por Sporting em Portugal desde 2004

A mesma tendência é seguida no estrangeiro, onde as procuras pelo nome do clube obtiveram o seu  máximo ao final do dia.

 

Procuras por Sporting em todo o mundo desde 2004

Interessante saber que os países que mais procuraram neste dia por “Sporting” no Google – e que, assumimos, estejam mais interessados em obter mais informações sobre as agressões ocorridas em Alcochete – são Cabo Verde, Moçambique, Angola e Luxemburgo. Ou seja, países dos PALOP e um europeu onde reside uma grande comunidade de emigrantes portugueses.

países que mais procuram por Sporting e pelas agressões aos jogadores

Não é só o nome do Sporting que sofreu um enorme incremento de buscas no Google após as agressões aos jogadores e equipa técnica por parte de – acredita-se – adeptos da claque sportinguista. Bruno de Carvalho viu o seu nome bem esmifrado pelos portugueses.

Aliás, nunca o seu nome tinha sido tão procurado na Internet.

Procuras por Bruno de Carvalho no Google

Além de “Bruno de Carvalho”, outras procuras prenderam-se com “Bas Dost” – um dos jogadores agredidos -, “jogadores do sporting agredidos”, mustafa sporting”, “bruno de carvalho filhas” ou “rui patrício instagram”.

jogadores sporting agredidos

quem é bruno de carvalho

A nível internacion, de acordo com o Google Trends – a ferramenta da Google que permite acompanhar as tendências mundiais em termos de pesquisas -, também houve interesse em temas relacionados com Bruno de Carvalho, o Sporting e os jogadores do clube. Mas também há quem tenha repescado histórias relacionadas com o passado recente do clube, como a saída do anterior treinador Marco Silva.Juventude Leonina, Marco Silva, Agressões Sporting

Bas Dost, André geraldes, balneario, bruno fernandes

Ainda a nível de procuras internacionais no Google, estes são os temas mais procurados em relação aos tristes e trágicos incidentes ocorridos na Academia de Alcochete.

Violencia, hooliganismo, jogadores do sporting agredidos

Com esta informação, e sabendo o que os utilizadores estão à procura, os redactores online poderão ter uma vantagem e antecipar algumas histórias. Ou tentar providenciar nos seus artigos algumas informações que possam responder às procuras dos portugueses.

Como reduzir o Bounce Rate do seu site

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Como reduzir o Bounce Rate do seu site

reduzir bounce rate taxa de rejeição

A taxa de rejeição ou o bounce rate é uma métrica super importante. Reduzir o bounce rate ajuda a tornar os sites mais relevantes, por isso é que a taxa de rejeição serve como um forte indicador de engagement com o utilizador. Uma elevada taxa de rejeição significa que o utilizador deixa uma página sem interagir com ela, ou seja, a página não responde às intenções do visitante.

No entanto, como qualquer outra coisa em SEO ou marketing digital, melhorar a taxa de rejeição não é uma missão impossível.

O que é bounce rate?

Antes de explicar como melhorar esta métrica é preciso entender o que é o bounce rate. O bounce rate, ou taxa de rejeição, é uma métrica percentual de quantos visitantes entraram no seu site ou blog por uma página e saíram dessa mesma página sem continuar a leitura ou ir para outras páginas.
Já estou a ouvir alguém a gritar: “onde posso ver a taxa de rejeição do meu site?”. Fácil. Se o seu site já está registado no Google Analytics, essa informação irá aparecer no painel de visitas, acessos, etc.

A taxa de rejeição é definida pelo Google. O motor de busca sabe a diferença entre uma página desenhada para responder a perguntas (e onde o utilizador não quererá visitar outras páginas) e páginas de conversão (onde o webmaster quer que o utilizador siga o caminho de conversão).

Por outras palavras: se uma página de definição de uma palavra tiver um bounce rate de 100%, essa métrica não é negativa e não irá penalizar o seu ranking. Mas se uma página de produto tiver um bounce rate de 85%, é provável que esse número possa estar a penalizar o seu ranking orgânico.

Como melhorar o bounce rate do meu site

O primeiro passo para melhorar o bounce rate do site é entender porque é que o utilizador está a sair daquela página sem fazer qualquer actividade.

Está a página com problemas técnicos? Com imagens quebradas? Com problemas de design? Ou será o conteúdo que não responde às perguntas do utilizador? Estas são algumas das perguntas que devemos fazer para entender a estratégia a seguir para reduzir o bounce rate.

As pessoas clicam em links para páginas da web por um motivo, mesmo que esse motivo possa ser incrivelmente trivial. Eles podem estar apenas a querer ver o resto daquela foto de clickbait intrigante ou entender se “o que ele fez a seguir” foi realmente inacreditável.

A questão é que há sempre uma intenção do utilizador, não importa quão grande ou pequena. Antes de começar a investir tempo abordando alguns dos pontos abaixo, deve ter uma boa ideia da intenção do utilizador. Essa é a única forma de realmente proporcionar ao visitante o que ele realmente quer.
É imperativo entender quem você está tentando atrair (buyer personas) e o que eles estão tentando alcançar visitando a sua página da web / website. Essa informação não é importante apenas para ajudar a reduzir sua taxa de rejeição, mas também é absolutamente essencial para a produção de campanhas de marketing e designs de websites que atinjam seus objetivos – ajudando seus visitantes a alcançar os deles.

Mobile

A taxa de rejeição é igual entre utilizadores que visitam o site em desktop e mobile? Se você ainda precisa abordar problemas relacionados a utilizadores mobile, então o foco deverá estar aí. Os smartphones e as visitas mobile não é mais algo do futuro. De facto, muitas das páginas da web já recebem mais tráfego mobile do que desktop, neste momento – se ainda não está preparado para o mobile – já está a perder dinheiro.

O Google já começou a lançar o Mobile First Indexing e a internet já está quase toda preparada para receber cada vez mais visitantes mobile.

Se o seu site não for responsivo para smartphones e tablets ou se você tiver problemas de formatação em dispositivos móveis, pare de ler e vá já tratar desses temas.

Leitura

Você pode ter o melhor conteúdo do mundo, mas se alguém sair da página por ser muito difícil de ler, não valerá de muito, pois não? Mudanças simples, como aumentar o tamanho do texto (especialmente para dispositivos móveis) ou o espaçamento entre linhas, podem ter um impacto real.

Na formatação do conteúdo, evite parágrafos com mais de 7 linhas, isso torna o texto cansativo e maçante de ler. Tente quebrar isso, usando parágrafos de 3 a 4 linhas, isso tornará a leitura mais simplificada.

A utilização de listas e subtítulos também ajuda o leitor a ler o material até ao fim, pois textos corridos acabam por se tornar pouco interessantes.
As imagens irão ajudar a dar um “descanso” na leitura e fazer com que o leitor ganhe um fôlego para continuar até ao final.

Uso de linkagem interna

Uma das melhores formas de fazer com que o utilizador siga navegando por outras páginas é fazer linkagem interna no meio do conteúdo, mostrando assuntos relacionados com o que você está abordando. Isso funciona até como uma forma de complemento ao assunto tratado. (Parece óbvio, não parece?)

Uma dica para este ponto é que sempre que você tenha que colocar um link (interno ou externo), faça a configuração de um link com abertura da página para ser aberta em uma nova aba, com isso, mantem o leitor no seu site, enquanto navega em outro local.

Incentivar o envolvimento

O Google afirma que algumas páginas provavelmente terão uma taxa de rejeição mais alta do que outras devido à intenção do utilizador. Embora isso seja certamente verdade, é sempre uma boa ideia incentivar mais envolvimento com o seu website. Por exemplo, uma postagem de blog pode qualificar-se para uma taxa de rejeição mais alta, mas se investir em marketing de conteúdo, desejará que a página da Web direccione os utilizadores por meio de um funil de entrada definido.

Garantir que haja clareza nas chamadas para o conteúdo relevante, links internos e uma estrutura de menu que não exija um decodificador, ajudará a contribuir para uma taxa de rejeição mais positiva. Dessa forma, resolver o problema inicial da taxa de rejeição pode melhorar a sua taxa de conversão.

Anúncios intrusivos devem ser banidos

Quantos de nós já chegámos a uma página da Web e imediatamente tivemos que navegar num campo minado de pop-ups e anúncios? Como nos sentimos em relação a isso?

Rand Fishkin (que saiu recentemente da Moz) apresentou uma Whiteboard Friday sobre o assunto (vídeo em baixo). O Google é muito inteligente, por isso, se você não puder deixar os pop-ups irritantes porque estão gerando conversões, verifique se o utilizador pode rapidamente (muito rapidamente) voltar ao conteúdo que visitou a página para ler, visualizar ou ouvir.

Velocidade de carregamento

Quão rápido é o seu site. A velocidade de carregamento (ou page speed) tornou-se ainda mais importante à medida que o uso de dispositivos móveis disparou. Vivemos numa sociedade impaciente, expectante de acesso instantâneo. Portanto, é necessário que haja poucas explicações de que, se o seu site for dolorosamente lento para ser carregado, você aumentará o risco de que os utilizadores saltem fora. Pode haver vários factores afectando a velocidade de carregamento, mas problemas comuns são hospedagem compartilhada de baixo custo e imagens de alta resolução.

Quanto a isso sugerimos a leitura de SEO Mobile, Mobile Speed, AMP e PWA: Google muda o jogo em 2018 e deComo deixar um site em WordPress mais rápido”.

Design / User Experience

Os visitantes estão agora mais exigentes do que nunca em relação… a tudo. Nós não estamos num mundo em que ter um site de negócios é um luxo – é uma necessidade. O Design do site e a experiência do utilizador é o diferencial. Num cenário em que os concorrentes do sector provavelmente aumentarão os investimentos em digital, a forma como a sua marca (e seu conteúdo) é apresentada aos clientes em potência é primordial.
Às vezes há um equilíbrio entre design e usabilidade, mas não subestime o impacto que um site mal projectado pode ter na sua taxa de rejeição e no desempenho geral do site.

 

Novo Google News – App disponível em Android, iOS e Web

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Novo Google News – App disponível em Android, iOS e Web

Google News App

Abril marcou uma nova viragem em termos de importância dos canais. As visitas a websites através de “Orgânico” ultrapassaram pela primeira vez em 5 anos as visitas vindas das Redes Sociais. O Google – melhor que ninguém – sabe disso e aproveitou o momento para lançar o novo Google News.

A Google tem um papel importante no consumo de notícias online e, aliás, tem sido atacada muitas vezes pelos meios de comunicação social que acusam a gigante de fazer dinheiro à conta dos jornais. O novo Google News vem trabalhar um mercado muito maltratado, resultando da união entre o antigo Google News e o Google Play Newsstand. A app estará disponível para Android e iOS e também no computador em 127 países, incluindo Portugal.

Esta pode ser uma das melhores formas de combater as tão famosas “fake news”, mas irão querer os utilizadores instalar mais uma app para terem acesso a informação difundida rapidamente pelo Facebook e Twitter?

Quando criámos o Google Notícias originalmente há 15 anos, organizámos artigos de notícias para facilitar a visualização de várias fontes sobre o mesmo assunto.
O Google News agora recriado usa um novo conjunto de técnicas de IA para obter um fluxo constante de informações enquanto acede à Web, analisa em tempo real e organiza a informação em enredos. Essa abordagem significa que o Google News entende as pessoas, os lugares e as coisas envolvidas numa história à medida que ela evolui e tenta entender como eles se relacionam entre si. Em essência, essa tecnologia permite-nos sintetizar informações e reuni-las de uma forma que o ajuda a entender o que está a acontecer e qual foi o impacto ou a reacção.

O novo Google Notícias substitui o Google Play Newsstand em dispositivos móveis e computadores e o aplicativo Google News & Weather nos smartphones. Estará disponível em todos os países até ao final da próxima semana.

Como Criar um Blog de Sucesso (E Ganhar Dinheiro) Passo-a-Passo

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Como Criar um Blog de Sucesso (E Ganhar Dinheiro) Passo-a-Passo

como criar um blog de sucesso ganhar dinheiro

Desde que o acesso à internet se tornou mais democrático que há quem procure como criar blog de sucesso e, se possível, ganhar dinheiro com isso. Nós temos o passo-a-passo para criar um blog de sucesso e explicaremos como ganhar dinheiro.

Como criar um blog de sucesso? Muitos dos casos de maior dimensão começaram como um simples hobby. Para fazer um blog de sucesso é preciso, sobretudo, dedicação. Daí a importância desta introdução antes de saltarmos para o passo-a-passo de como montar um blog de sucesso. Se está a ler este artigo, provavelmente tem dois conceitos na cabeça: “criar blog” e “ganhar dinheiro”. A pergunta, então, será: como fazer um blog de sucesso? Errado!

Como Criar um Blog de Sucesso (E Ganhar Dinheiro) Passo-a-Passo

A pergunta é: o que é um blog de sucesso? Como definimos sucesso? Esse conceito depende de pessoa para pessoa. O sucesso pode ser medido por número de visitas, por partilhas nas redes sociais, pelo dinhheiro que se consiga fazer ou, até, simplesmente pelo gozo obtido em manter o blog. Cada um difinirá para si os seus objectivos.

Ok. Dito isto, como ganhar dinheiro com um blog grátis?

É, até, provável que o leitor até já tenha criado um blog gratuito no WordPress ou no Blogspot, começou a postar e… ao fim de um mês não viu resultados. Desmotivou. Nunca mais olhou para o seu projecto.

Todos aqueles posts, horas… e nenhum comentário. Trabalhar muito nem sempre significa que estamos a trabalhar bem. Vamos passo por passo…

Para Iniciantes

Se ainda não começou um blog e é iniciante nestas andanças temde começar por:

Escolher o assunto do blog

Como escolher um assunto para o meu blog? Bem, caso ainda esteja em dúvida sobre o que escrever, temos a melhor dica de todas: Fale sobre assuntos que você gosta e onde se sente à vontade para escrever.

Se seu objectivo é gerar dinheiro a partir do blog, é interessante que seus posts sejam usados para educar a sua audiência sobre o produto que você vende ou os serviços que presta. Ou, simplesmente, fale sobre assuntos pelos quais as pessoas têm interesse.

Escolher o nome

Há dicas para um bom nome de bog? Um bom nome é aquele que fica na cabeça das pessoas, que o seu público vê e associa imediata com o assunto sobre o qual está a falar. Também deve ser simples e fácil de escrever, para que os utilizadores tenham facilidade tanto para encontrar seu blog, como para indicá-lo para os amigos.

Ponto muito importante! Só porque você gosta ou tem interesse em algo, não significa deva criar um negócio sobre isso! Ou que haja oportunidade de negócio. Porém, se não tem nicho de negócio, não se preocupe. Ainda assim, é possível ganhar algum dinheiro com as suas paixões.

Tem também que ter em atenção se o domínio da internet para esse nome se encontra ou não disponível para compra e registo. Confirme aqui: https://www.dns.pt/pt/

Comprar o Domínio

Se já existir algum domínio registado com o nome que tinha em mente, há algumas alterações que você pode fazer para manter a ideia original, como inserir um artigo antes do nome, por exemplo, www.oaviaodofuturo.pt. Alguns empreendedores já possuem um domínio próprio, neste caso, basta acrescentar a página do blog, exemplo: www.seuproduto.pt/blog.

fazer dinheiro com blog

Se esse não é seu caso, precisará registar o domínio para garantir que outras pessoas não possam utilizá-lo. A nossa sugestão é privilegiar domínios com final .pt, já que este formato é mais intuitivo para utilizadores portugueses. Mas, se está a pensar na internacionalização, pode sempre escolher .com ou .net.

Aqui pode registar o domínio que pretende.

Comprar hospedagem

Escolha entre serviço gratuito ou servidor de hospedagem. O servidor de hospedagem é, basicamente, a empresa que colocará seu blog no ar, com todas as páginas e funcionalidades que ele precisa.

Para essa finalidade, aconselhamos o A2Hosting, mas pode procurar e escolher qualquer outro serviço compatível, por exemplo, com o WordPress, que seja seguro e fácil de gerenciar.

hosting blog preço

Vale ressalvar que servidores portugueses representam um investimento maior, mas em compensação, são mais rápidos, já que a ligação entre o utilizador e o site sofre menos interferências do que sites hospedados em servidores estrangeiros.

Escolha uma plataforma

O ideal será que procure uma plataforma flexível, de forma a conseguir implementar anúncios que serão, inevitavelmente, a sua maior fonte de receita.

Uma plataforma mundialmente conhecida e, provavelmente, a mais utilizada, é o WordPress, devido ao facto de ser gratuita e extremamente intuitiva. Para além disso encontra ainda inúmeros tutoriais espalhados na internet, onde pode aprender mais sobre a mesma, caso se dedique, a fundo, ao seu blog.

Não tenho dinheiro para investir!

Ok, ter algum dinheiro de parte é desejável. Comprar um domínio e alojamento pode custar cerca de 50 euros por ano. E se não tiver esse dinheiro disponível?

Também é possível criar um blog sem contratar um servidor, usando as funcionalidades gratuitas de plataformas como o WordPress, blogger ou tumblr, mas é importante saber que essa escolha pode trazer algumas desvantagens, como:
• Não poderá escolher o nome de seu domínio. Só o subdomínio.
Num blog gratuito, a URL contém, obrigatoriamente, o nome da plataforma na qual ele está hospedado, exemplo: www.oaviaodofuturo.wordPress.com.
• Você não pode se cadastrar no Google Adsense
Essa opção não permite veicular anúncios do Google Adwords, que é uma das principais formas de gerar receita como blogueiro.
• De facto, não é dono do seu blog
É isso mesmo! Como o blog está hospedado no servidor de alguém, é possível que você acorde um dia e sua página tenha sido apagada sem aviso prévio ou precisa de configurar o servidor e não tem como.
• Imagem pouco profissional
Ter um blog gratuito dá a impressão de que não valoriza o conteúdo que está a publicar. E se você não valoriza, porque é que outras pessoas o fariam?

Para Amadores

Pare já de tratar o blog como um hobby

Se quer ganhar dinheiro – e provavelmente já investiu algum dinheiro – tem de olhar para o seu blog como um negócio.

Estabeleça um propósito

O que você quer de verdade? Só aprender fazer um blog!? Ganhar dinheiro com o blog? Divertir-se?

Não adianta publicar textos atrás de textos sem um propósito. Se quer ganhar dinheiro com o seu blog defina, exactamente, como! Não deixe isso para depois, nem espere por algum milagre.

Identifique problemas e oportunidades do mercado

Se quer realmente aprender como montar um blog de sucesso e ganhar dinheiro com ele, então preste bem atenção a este passo: defina o funil de vendas.

Existem duas formas de rentabilizar um blog: uma através dos anúncios, outra através de publicações patrocinadas, normalmente que levam à divulgação, comunicação e/ou venda de algum produto ou serviço.

Independentemente da forma de receita, é de extrema importância que crie conteúdos apelativos e interessantes, de forma a criar um bom fluxo de acessos aos seu site.

Defina qual será o foco do seu blog e crie conteúdo relacionado com o mesmo. Evite copiar artigos publicados da internet, dando sempre preferência a conteúdo relevante e que ajudem as pessoas, só assim vai atrair mais leitores e, consequentemente, ganhar dinheiro com o seu blog.

  • Crie algo de valor para oferecer para os leitores do seu blog para que se inscrevam na sua lista. Depois crie um formulário com a Aweber ou MailChimp e comece a entrar em contato com as pessoas;
  • Agregue cada vez mais valor antes de pedir algo em troca. Ofereça conteúdo. Ensine. Motive. Inspire;
  • Depois, com calma, faça uma primeira oferta. Algum e-book de QUALIDADE. De repente numa faixa de preços entre 20-50€;
  • Crie um segundo curso um pouco mais caro para aqueles que desejam dar o próximo passo.

Para Profissionais

Encontrar os anunciantes

Pode parecer difícil, mas a verdade é que esta é a parte mais fácil de ganhar dinheiro com o blog!

Enquanto que a criação de conteúdos dá trabalho e é necessária para obter acessos e aumentar o seu número de visualizações e alcance, a obtenção de anunciantes é fácil, através dos Programas de Afiliados. Pode inscrever-se neste site para começar a ganhar dinheiro.

Basta procurar online por Programas de Afiliados, as empresas irão enviar-lhe um código que deve colocar no seu blog e, a partir daí, a remuneração que poderá obter é proveniente dos cliques que conseguir nesses anúncios!

Se ainda está a começar, comece pelo maior e mais abrangente programa de afiliados, o Google AdSense.

Precisa apenas de criar uma conta no Google AdSense e configurar os seus anúncios, depois basta colocar o código obtido nas zonas do seu blog onde pretende colocar os anúncios. Sempre que alguém clica nesses anúncios, recebe um determinado valor desse mesmo clique.

No caso da Google, o valor é acumulado e pago assim que chega a uma determinada quantia, sendo transferido para a sua conta pessoal, sem qualquer tipo de complicação.

Vendas feitas através do blog

Alguns anunciantes pagam por cliques, outros fazem-no por vendas, o que é muito bom, tendo em conta que os valores são, normalmente mais altos.

Acha que as pessoas que vão ao seu blog acabam por comprar algo localizado nos seus anúncios? Então aposte em programas de afiliados que paguem por vendas.

Este é, normalmente, um segundo passo, no que toca a rentabilizar um blog. Quando o seu blog atingir alguma notoriedade e se tornar uma referência, vai, muito provavelmente, ser abordado, quer para a comercialização de espaço no seu blog, quer para a criação de publicações patrocinadas, os chamados “publiposts”.

Isso é algo que já acontece com bloggers de sucesso, que tanto “alugam” espaços nos seus blogs, onde as empresas podem colocar banners e anúncios, como fazem posts pagos de determinado produto ou serviço.

Criar um blog de sucesso dá trabalho, exige dedicação, mas não é tão difícil como poderia parecer à primeira-vista.

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Conteúdo oculto não é penalizado pelo Google

Conteúdo Oculto Google

Agora que o primeiro passo de indexação para dispositivos móveis está realmente a ser implementado, a discussão voltou: conteúdo oculto é penalizado pelo Google? E com o Mobile-First Indexing?

Segundo o Google, o conteúdo oculto não irá causar problemas ou penalizações com a mudança para Mobile-First Indexing. Desde que o conteúdo esteja acessível no site para dispositivos móveis. Por isso, o conteúdo em guias, tabs ou acordeões ou outros métodos que mantêm o design mais limpo – mas permitir que os utilizadores acedam esse conteúdo – está de acordo com o livro de estilo do Google.

Dois Googlers diferentes reafirmaram isto mesmo recentemente. John Mueller, do Google, disse isso novamente no BrightonSEO:

Com o lançamento do Mobile-First Index, o Google tratará o conteúdo que está oculto de uma forma igual ao conteúdo que está à vista sem necessidade de nenhum clique.

O Google não usa rel=next em a-Elements

Mas nem só de conteúdo oculto de fala no Google. Outra das novidades mais recentes vindas do Google diz respeito aos famosos rel=next. E que confusam vai por essa web…

O rel=next e rel=prev do Google indica a paginação, como explicam os documentos de ajuda da gigante norte-americana, lançados em Setembro de 2011 para resolver os problemas com conteúdo paginado e o conteúdo a ser ranqueado nas pesquisa.

Mas esses atributos vão no header das página, não em nenhum a-element da página.

Então você não incluiria o rel = next ou rel = prev no código do seu link, mas sim no cabeçalho das páginas que eles estão sendo usados. Veja os documentos de ajuda para instruções detalhadas.

John Mueller, do Google, disse no Twitter que, se usamos rel=next em a-element, a pesquisa do Google não faria nada com ele. Provavelmente irá ignorá-lo e tratá-los como links normais.

Ahrefs Content Gap

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Ahrefs Content Gap

AHREFS Logo

Fiquei surpreendido quando vi o volume de procura por “Ahrefs Content Gap”. Parece que a funcionalidade está a ganhar fãs em todo o mundo e por isso vou aproveitar este artigo para debruçar um pouco sobre como aproveitar ao máximo o, também conhecido, “Intervalo Conteúdo”.

Ahrefs Content Gap ou Intervalo Conteúdo

Com o “Content Gap” do AHREFS, descubra as palavras chave que a sua concorrência tem a ranquear, mas você não. Ou seja, encontre oportunidades de crescimento, analisando a concorrência. Sobre este tema, também já publicámos o artigo Análise da Concorrência – Como encontrar oportunidades de crescimento

Content Gap Intervalo Conteúdo

Analisar oportunidades de conteúdo

O processo para uma análise de conteúdo pode ser feito com o “Intervalo Conteúdo” do Ahrefs é super simples. Esta metodologia automatiza um processo que originalmente era somente acessível para utilizadores avançados de Excel.

Basicamente, a ferramenta permite obter todas as palavras chave (keywords) que a sua concorrência tem ranqueadas e subtrai automaticamente as palavras chave que o seu website (ou página específica) tem a ranquear. O que irá obter é uma lista de palavras chave que, possivelmente, deveria ter como alvo.

A ferramenta Intervalo Conteúdo, ou Content Gap, permite-lhe fazer isso com um grupo de concorrentes ao mesmo tempo, dando-lhe massivas listas de palavras chaves que todos os seus concorrentes estão a trabalhar e você não:

Tornar um processo complexo disponível para todos

A ferramenta tem 3 opções de filtragem de resultados:

  • As palavras chave para as quais pelo menos um os seus concorrentes estão a ranquear

  • As palavras chave que pelo menos 2 dos seus concorrentes estão a ranquear

  • As palavras chave que todos os seus concorrentes possuem rankings

Terá os melhores resultados se seleccionar ver as palavras chave que todos os seus concorrentes possuem classificação em pesquisas, excepto você próprio:

top content

Encontrar concorrência

Quando avançar para uma análise de Content Gap do AHREFS tem de ter em conta quem são os seus concorrentes.

Primeiro, quem são os seus concorrentes de negócio; Segundo, quem são os seus concorrentes orgânicos na SERP do Google. Pode ser que sejam os mesmos, podem ser diferentes. Vale muito a pena fazer esse exercício antes de se aventurar a descubrir que palavras-chaves eles estão a trabalhar e você não.

As 5 Melhores SEO Tools do Mercado

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.