É o Fim do SEO?

Fim do SEO

Para quem já trabalha com sites há quase duas décadas, o anúncio do fim do SEO não é novo. Aliás, o fim do SEO é anunciado a cada ano e – surpresa – continuamos a falar de SEO e de optimização.

Para os mais distraídos deixo aqui um texto sobre O Que é SEO e como somos influenciados por ele todos os dias.

O SEO é praticamente tudo o que seja optimização de resultados. Olhe à sua volta e veja a quantidade de motores de busca que há: Google, Youtube, Google Play (ASO), iTunes, Bing, Amazon… Acha mesmo que é o fim do SEO?

A cada actualização do algoritmo do Google, a cada mudança do Adwords, lá ouvimos alguém reclamar que estamos a assistir ao fim do SEO. Mesmo que um dia o Google desapareça como motor de busca, o SEO irá continuar a existir. Com outro formato, com outras regras, mas o seu site e o seu conteúdo irá continuar a precisar de ser encontrado.

Sim, fazer SEO será cada vez mais difícil, com mais desafios, mas não irá desaparecer. Vale a pena investir em SEO? Bem, enquanto os ganhos superarem o investimento, eu diria que sim!

Desafios de optimização

Para quem se dedica ao conteúdo, os grandes desafios passam pela adaptação/optimização da mensagem em diferentes plataformas. O modo como procuramos no Google é diferente do modo como procuramos no Youtube, que por sua vez é diferente do modo como procuramos  nas Lojas de App ou até na Amazon.

As equipas de Content têm em mãos muito trabalho e terão que se adaptar rapidamente aos diferentes ambientes.

Fim do SEO Tradicional?

Há quem me aborde a perguntar se esta minha posição não sugere que estamos perante “o fim do SEO tradicional”. A minha pergunta não pode ser mais directa: o que é o SEO tradicional?

Dizer que há SEO Tradicional é assumir que há um SEO não tradicional, talvez chamado novo SEO. O que será este novo SEO? O novo SEO é o nome dado as práticas hoje aceites? Há 15 anos o SEO era colocar um texto com centenas de keywords para se ranquear no Google. Era, por exemplo, esconder keywords a branco em textos em nada relacionados… o que é afinal o SEO tradicional? E o que é afinal o novo SEO?

O SEO desenvolve-se a cada dia e o SEO de ontem – literalmente ontem – não é o mesmo de hoje e não será o mesmo de amanhã. O SEO é por isso uma arte mutável a que profissionais e empresas se têm que adaptar com agilidade.

Portanto, o SEO vai acabar? Talvez. Não agora. Não enquanto pesquisarmos por apps, por música, por vídeos, por compras… Enquanto houver pesquisas na net, o SEO irá existir.

 

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

ASO – Tudo o que precisa saber sobre Optimização de App Stores

O que é ASO (Optimização de Loja de Apps)?

Esta é uma pergunta fundamental: o que é ASO. ASO é a optimização de loja de aplicativos, como o iTunes ou o Google Play. A sua optimização irá colocar a app numa posição de ranqueamento mais elevada, aumentando as hipóteses de ser vista e acedida pelo utilizador.

O  mobile caminha não só no sentido de se criar páginas amigas dos telemóveis, mas também na criação de aplicativos (ou mais conhecidas em Portugal como “aplicações”) que nos ajudem a interagir melhor com os websites, ou pelo menos com os produtos e serviços neles contidos.

Os aplicativos podem ser jogos, ferramentas ou sites em versão app. E estão todos disponíveis ou no Google Play ou na Apple Store, dependendo do sistema operativo que usa. E estas lojas têm os seus próprios algoritmos para se procurar pelas aplicações. Neste caso falamos de ASO (App Store Optimization ou, em português, Optimização na Loja de Aplicativos).

O ASO (seria mais correcto dizer “a”, não era?) muitas vezes é deixado para segundo plano. A verdade é que passamos horas a tentar optimizar os nossos textos através de SEO, mas acabamos por fazer a descrição das nossas apps em poucos minutos durante o processo de submissão. Desvalorizamos erradamente este processo na ânsia de subir a nossa aplicação. Continuamos a fazer os mesmos erros sem dar conta.

Há cada vez mais apps e cada vez mais utilizadores mobile. Por isso, Mobile SEO e ASO tornam-se tão importantes como o SEO tradicional. Em certos negócios de e-commerce eu diria que já é mais importante o mobile e as lojas de App do que o site em si.

O SEO para mobile está a tornar-se bastante popular em todas as indústrias desde o momento em que os marketeers perceberam que existe um potencial de optimização que pode estar directamente relacionado com o aumento do número de utilizadores que escolhem dispositivos mobile para aceder ao conteúdo diário através da pesquisa.

Há que saber, portanto, quais os factores relevantes para ter uma descrição que seja facilmente encontrada pelos utilizadores. A Apple Store e o Google Play usam registos completamente distintos, ainda que não seja consensual quais os factores de relevância usados.

Olhemos primeiro para os factores de ranqueamento do Google Play

A Google tem apostado nas aplicações que permitam fazer pagamentos, como comprar moedas virtuais ou adquirir produtos. Essas aplicações surgem melhor posicionadas na hora de se procurar um aplicativo. Mas há muitos outros factores além do “purchase”

Ter uma página traduzida no idioma do utilizador que faz a procura, ter um vídeo explicativo de como funciona a app, ser um developer reconhecido, ter um vídeo explicativo do uso da aplicação, ter um título com palavras-chave relevantes para o seu negócio, etc.

A estes factores junta-se, sem dúvida, a questão de como o Google vai apresentar a página do Google Play na página de resultados. Palavras-chave nas primeiras linhas da descrição e a negrito podem ajudar.

Mas há um factor que o Google adora: os comentários e avaliações de quem baixou a sua app. Se alguém escrever que a sua App é “a melhor app para encontrar restaurantes no Porto” fique-lhe extremamente agradecido. Por isso, convide sem ser chato, os seus utilizadores a comentarem a sua app.

Já a Apple usa factores de ranqueamento bem distintos

A marca da maçã prefere palavras-chave (permite até 100 caracteres) que identifiquem o aplicativo, títulos bem definidos e relevantes para o conteúdo que se está a apresentar.

Há inúmeros estudos sobre ASO, alguns que vão ao pormenor de tentar entender a relevância de usar palavras no singular e no plural ou só numa das formas. Tudo conta na hora de optimizar um texto. A verdade é que deve adaptar o seu conteúdo ao motor de busca que está a trabalhar.

O mesmo se passa com sites de venda como o Ebay ou a Amazon.

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.