Como implementar Hreflang Tag

hreflang tag Holytrap

Hreflang tag é uma alternate, inserida no código html das páginas de um site ou nos sitemaps, para indicar ao Google que aquele conteúdo possui versões em diferentes idiomas e/ou para diferentes países.

Para aqueles que são mais meticulosos: 

hreflang não é tecnicamente uma tag, é um atributo. Mas é comum ser chamado de tag.

A sua utilização é importante para indicar qual o conteúdo mais adequado para Google em cada país ou, no caso de haver mais de uma língua oficial no país, qual a página correcta consoante o idioma do navegador.

Mesmo que não utilize hreflang tag é possível que o Google consiga perceber que página deve ser mostrada em cada um dos países. No entanto, em geral, é melhor indicar explicitamente as páginas específicas a idiomas ou regiões.

O Google explica neste vídeo como e quando implementar as hreflang tags:

Métodos para implementar hreflang tags

HTML

Adicione elementos ao cabeçalho da página para informar o Google sobre todas as variações de idioma e região de uma página. Isso será útil se você não tiver um sitemap ou não puder especificar cabeçalhos de resposta HTTP para o site.

Cada variação da página deve incluir um conjunto de elementos para cada variante da página, incluindo para ela mesma. O conjunto de links é idêntico para todas as versões da página.

<link rel=”alternate” hreflang=”lang_code” href=”url_of_page” />

Um exemplo de boa implementação das hreflang tag é o site da Holy Trap, um escape room no Algarve que procura atrair tráfego de Portugal, mas também do mercado inglês.

hreflang tag Holytrap

Cabeçalho HTTP

É possível retornar um cabeçalho HTTP com a resposta GET da página para informar o Google sobre todas as variantes de idioma e região de uma página. Isso é útil para arquivos não HTML, como PDFs.

Este é o formato do cabeçalho:

Link: <url1>; rel="alternate"; hreflang="lang_code_1", <url2>; rel="alternate"; hreflang="lang_code_2", ...

Sitemap

É possível usar um sitemap para informar o Google sobre todas as variantes de idioma e região de cada URL. Para fazer isso, adicione um elemento <loc> que especifique um único URL, com entradas filhas <xhtml:link> que listem todas as variantes de idioma/localidade da página, incluindo ela mesma. Assim, se você tiver três versões de uma página, o sitemap terá três entradas, cada uma com três entradas filhas idênticas.

Regras do sitemap:

  • Especifique o namespace xhtml da seguinte forma:
    xmlns:xhtml="http://www.w3.org/1999/xhtml"
  • Crie um elemento <url> separado para cada URL.
  • Cada elemento <url> precisa incluir um filho <loc> indicando o URL da página.
  • Cada elemento <url> precisa ter um elemento filho <xhtml:link rel="alternate" hreflang="supported_language-code"> que liste todas as versões alternativas da página, incluindo ela mesma.  A ordem desses elementos filhos <xhtml:link> não importa, mas mantê-los na mesma ordem facilita a verificação de erros.

Porque são as tags Hreflang tão importantes?

As tags do Hreflang ajudam os mecanismos de pesquisa a entender qual a versão do conteúdo é exibida para qual público-alvo.

Atenção:

hreflang é apenas uma directiva para o Google. Por vezes o Google entende que há outras páginas que melhor respondem ao utilizador e ignora a tag. Mas isso não significa que as hreflang não têm valor.

O Google já não confia tanto nos ccTLDs como o principal indicador de localização. Em vez disso, o motor de busca está tomar decisões sobre o fornecimento de conteúdo com base nas configurações do utilizador, do local e do idioma, aumentando assim a importância da tag Hreflang.

É também importante utilizar hreflang para evitar que o Google entenda conteúdos parecidos ou iguais como duplicados. Se há duas páginas semelhantes mas com target para países diferentes o Google deve ser avisado através destas tags.

Quais são os problemas mais comuns com tags Hreflang?

Ao longo dos anos, analisámos milhares de tags de Hreflang e, muitas vezes, vimos os mesmos tipos de erros.

Códigos Incorretos

Um dos problemas mais comuns é o uso de linguagem inventada ou códigos de país. Geralmente, os códigos oficiais são diferentes para o idioma e o país, portanto, as suas tags são diferentes.

Bons exemplos disso:

Sueco – não é SE-SE mas SV-SE. SV para Svenska, o nome da língua sueca
Japonês – não é JP-JP mas JA-JP para japonês
O Reino Unido – O código oficial do país para o Reino Unido é GB não no Reino Unido, portanto o código correto é EN-GB não EN-UK.
Você não precisa se lembrar desses códigos, pois pode encontrar facilmente uma lista dos dois tipos de código on-line:

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_ISO_639-1_codes
Os códigos de país estão aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/ISO_3166-1_alpha-2

Tag Hreflang de auto-referência ausente

Ao listar todas as tags do Hreflang, seja na página ou no arquivo do sitemap, inclua uma tag no idioma actual. Portanto, se você estiver a fornecer tags Hreflang de uma página ou sitemap alemão, certifique-se de que há um Hreflang alemão e as dos outros mercados.

Conflitos com tags canônicas

Certifique-se de que a tag de auto-referência usa o mesmo URL da tag canónica (canonical tag) na página ao adicionar Hreflang tag. Se as duas tags entrarem em conflicto, isso apenas confundirá os mecanismos de busca.

URLs de tags do Hreflang que não estão correctas

Pode ser um URL que redirecciona ou uma página que não está mais activa. Fazer um crawl com o ScreamingFrog é suficiente para encontrar esses problemas.

A análise de erros das hreflang tags fazem parte de qualquer análise de SEO técnico.

Veja aqui como fazer uma Auditoria SEO, passo por passo.

Robots.txt : O que são e como criar

Exemplo robots txt

O arquivo robots.txt fica na raiz de qualquer site e pode ser encontrado em www.example.com/robots.txt. O robots.txt é um arquivo de texto simples que segue o Protocolo de exclusão de robôs. Um arquivo robots.txt é constituído por uma ou mais regras. Cada regra bloqueia (ou permite) o acesso de um determinado rastreador a um caminho de arquivo (página ou pasta) especificado no site.

O robots.txt é uma parte frequentemente esquecida em SEO e nas auditorias técnicas. Mesmo sendo uma parte importante de qualquer conjunto de ferramentas de SEO.

Exemplo robots txt

Este ficheiro pode ser usado para diversos fins, desde que os mecanismos de pesquisa saibam onde ir para localizar o sitemap dos seus sites até que páginas rastrear e indexar e não rastrear. Além de ser uma óptima ferramenta para gerir o crawl budget de sites.

Por exemplo, se tiver páginas duplicadas ou páginas desactualizadas e queira que o Google não aceda a uma delas.

Crawl Budget

O crawl budget ou orçamento do rastreamento é o método que o Google usa para rastrear e indexar as páginas dos sites com eficiência. Por maior que seja o Google, o motor de busca ainda têm um número limitado de recursos disponíveis para rastrear e indexar o conteúdo de seus sites.

Especialmente se tiver um site com muito conteúdo fornecido em javascript.

Se o seu site for grande como um site de comércio eletrónico, por exemplo, e você tiver milhares de páginas com muitos URLs gerados automaticamente, o Google poderá não rastrear todas essas páginas e você perderá muita oportunidade de tráfego e de visibilidade.

O Google já confirmou que ter muitos URLs de baixo valor pode afectar negativamente o rastreamento e a indexação de um site. É aí que ter um arquivo robots.txt pode ajudar com os factores que afectam o orçamento de rastreamento de sites.

Analisar o robots.txt é fundamental numa auditoria de SEO.

Você pode usar o arquivo para ajudar a gerir o crawl budget, certificando-se de que os mecanismos de pesquisa estejam gastando o seu tempo no site da maneira mais eficiente possível (especialmente se você tiver um site grande) e rastreando apenas as páginas importantes sem perder tempo páginas como login, inscrição ou páginas de agradecimento.

Porque precisa do robots.txt?

Antes que um robot como o Googlebot, Bingbot, etc. rastreie uma página da Web, primeiro ele verifica se existe, de facto, um arquivo robots.txt e, se houver, geralmente respeitará as instruções encontradas nesse arquivo.

Um arquivo robots.txt pode ser uma ferramenta poderosa para SEO, pois é uma óptima maneira de controlar como os rastreadores/bots de motores de busca acedem determinadas áreas do site. Lembre-se de que precisa entender como o arquivo robots.txt funciona ou acidentalmente poderá bloquear o Googlebot ou qualquer outro bot e eles não serão capazes de rastrear todo o seu site. Isos fará com que possa não encontrar o seu site nos resultados de pesquisa.

Quando feito correctamente, é possível controlar coisas como:

  • Bloqueio de acesso a secções inteiras do seu site (ambiente de desenvolvimento e armazenamento, etc.)
  • Impedir que as páginas internas de resultados de pesquisa dos seus sites sejam rastreadas, indexadas ou exibidas nos resultados de pesquisa.
  • Especificar a localização do seu sitemap ou sitemaps
  • Optimizar o orçamento de rastreamento, bloquear o acesso a páginas de baixo valor (login, obrigado, carrinhos de compras, etc.)
  • Impedir que determinados arquivos (imagens, PDFs, etc.) sejam indexados

Exemplos de Robots.txt

Seguem-se alguns exemplos de como pode usar o arquivo robots.txt no seu site.

  1. Permitir que todos os rastreadores/robots da web acessem todo o conteúdo do site:
User-agent: *
Disallow:

Bloquear todos os rastreadores / bots da Web de todo o conteúdo do site:

User-agent: *
Disallow: /

É muito fácil cometer um erro ao criar os robots.txt do seu site, pois a diferença de bloquear todo o seu site e de o seu site ser visto é uma simples barra invertida.

Bloqueio de rastreadores / bots da Web específicos de uma pasta específica:

User-agent: Googlebot
Disallow: /

Bloqueio de rastreadores / bots da web de uma página específica do seu site:

User-agent: 
Disallow: /cart.html

Exclua todos os robôs de parte do servidor:

User-agent: *
Disallow: /cgi-bin/
Disallow: /tmp/
Disallow: /junk/

Para confirmar que os robots.txt estão bem construídos, que as páginas que deseja bloquear estão realmente bloqueadas, pode utilizar a Google Search Console e testar página por página.

O Google fornece ainda um guia de especificações do robots.txt que pode ajudar a melhor entender como o Google lida com o arquivo.

O tamanho máximo do arquivo robots.txt – para o Google – é de 500 KB, por isso é importante estar atento do tamanho do arquivo robots.txt.

Como criar um arquivo robots.txt

Criar um arquivo robots.txt para o seu site é um processo bastante simples, mas também é fácil cometer um erro. Não deixe que isso o desencoraje de criar ou modificar um arquivo de robôs.

Este artigo do Google orienta você pelo processo de criação de arquivos robots.txt e deve ajudá-lo a obter uma criação confortável

Melhores práticas para construir robots.txt:

  1. Certifique-se de que todas as páginas importantes sejam rastreáveis e que o conteúdo que não forneça qualquer valor real seja bloqueado.
  2. Não bloqueie recursos JavaScript e arquivos CSS
  3. Faça sempre uma rápida verificação do seu arquivo para se certificar de que nada mudou por acidente
  4. Coloque o arquivo robots.txt no directório raiz do seu site para que ele seja encontrado
  5. O arquivo Robots.txt faz distinção entre maiúsculas e minúsculas, o arquivo deve ser chamado de “robots.txt” (sem outras variações)
  6. Não use o arquivo robots.txt para ocultar informações privadas do utilizador, pois elas estarão visíveis
  7. Adicione o local do sitemaps ao seu arquivo robots.txt.
  8. Verifique se você não está a bloquear nenhum conteúdo ou secções do seu website que você deseja que o Google encontre

Erros comuns nos robots.txt

“indexada, mas bloqueada pelo robots.txt”! O sitemap contém urls bloqueados pelo arquivo robots.txt. Este é dos erros mais comuns que encontramos nos alertas do Google Serach Console.

Este erro acontece quando nos sitemaps está uma página que estamos a bloquear nos robots.txt. Basicamente, estamos a pedir no sitemap que o Google leia uma página ao mesmo tempo que estamos a dizer ao Google -a través do arquivo robots.txt – que não pode aceder àquela página.

Este erro acontece muitas vezes em sites que utilizam wordpress ou blogs que utilizar plugins que disparam sitemaps para páginas de tags e categorias.

Para corrigir basta decidir se retira as páginas do sitemap ou se, de facto, elas não deveriam estar a ser bloqueadas pelo robots.txt.

Usar o Screaming Frog – uma das principais ferramentas de SEO – ajudará a encontrar páginas erradamente bloqueadas.

 

Auditoria de Backlinks: Como fazer (Passo-a-Passo)

O que é PBN?

Já lá vão muitos anos desde que o Google lançou o “Pinguim”, mas nem por isso é tarde para aprender a fazer uma auditoria de backlinks.

A auditoria de backlinks pode ter diferentes fins: Entender que sites estão mais receptivos a “linkar” o seu; analisar os links que estão a gerar mais tráfego; saber que sites de baixo valor têm links a apontar para as suas páginas, etc.

É difícil hoje em dia saber se estamos a ser penalizados pelo Google devido aos nosso perfil de backlink. Excepto quando, efectivamente, o Google nos aplica uma penalização manual por “spammy-links”.

Os links são muito importantes na hora de ranquear um site. Quando olhamos os backlinks do nosso site podemos entender rapidamente o quão poderoso é um bom perfil de backlink. Encontramos lugares onde poderemos obter links ainda mais importantes que aumentarão o desempenho e os rankings do site.

É ainda possível “roubar” os backlinks dos seus concorrentes.

Uma auditoria de link analisa os seus links actuais (também chamado de backlink profile) e avalia como eles são bons para o seu site.

Uma boa auditoria de links também revela quais os links mais arriscados – que podem levar a uma penalização – e mostra como você pode melhorar a sua estratégia.

Alguns elementos importantes que devem ser considerados ao fazer a auditoria de backlinks

1. Domínios de autoridade

É preferível ter menos backlinks, mas pelo menos links de sites de extrema autoridade no seu nicho/área de influência. Especialmente se levarem tráfego ao seu site.

Aqui, explicamos como medir a autoridade de um site.

2. Países de origem

Se tiver um site cujo público é exclusivamente português ou brasileiro e 80% dos links que apontam para o seu site estão em domínios .ru o Google vai desconfiar da relevância desses links.

Isto é ainda mais importante se o seu negócio for local, como um restaurante ou um cabeleireiro, por exemplo. Procure sempre sites locais, da mesma cidade, para linkarem o seu.

3. Links não-naturais

Links não-naturais podem ser considerados uma violação de Recomendações de Qualidade do Google. Na verdade, cada link, criado com o único objetivo de aumentar o ranquamento do site é considerado pelo Google como um link não-natural.

Tenha cuidado ao criar links

Ao vincular suas páginas, você pode acabar estendendo a reputação do seu site para outro site. Alguns usuários podem tentar se beneficiar disso inserindo links para os sites deles nas seções de comentários ou nos fóruns de mensagens do seu site. Pode acontecer também de você mencionar um site de modo negativo e não querer estender sua reputação a ele. Por exemplo, imagine que você está publicando uma postagem sobre spam de comentários e quer mencionar um site que recentemente publicou spam nos comentários do seu blog. Você quer alertar as pessoas sobre esse site, então inclui no seu conteúdo um link que direciona a ele. No entanto, você não quer estender sua reputação ao site por conta desse link. Esse seria um bom momento para usar o atributo “nofollow”.

4. Portfólios de backlinks dos concorrentes

Verificar os backlinks do seu concorrente pode te ajudar a descobrir novas oportunidades de backlinks e oferecer uma chance de entender melhor a estratégia dele.

Se os seus concorrentes conseguiram um link num determinado site, há grande probablidade que você também consiga que esse site link o seu se entrar em contacto.

5. Texto Âncora

O anchor text, ou texto âncora, é o texto visível dentro de um link. Esse texto informa aos utilizadores e ao Google algo sobre a página vinculada. Os links na sua página podem ser internos (levando a outras páginas no site) ou externos (levando a conteúdo em outros sites).

Em ambos os casos, quanto melhor for o texto âncora, mais fácil será para os utilizadores navegarem no site e para o Google entender do que trata a página vinculada.

Práticas recomendadas pelo Google
Escolha um texto descritivo

O texto âncora usado em um link deve fornecer pelo menos uma ideia básica do que trata a página vinculada.

Evite:

redigir textos âncora genéricos, como “página”, “artigo” ou “clique aqui”;
usar um texto que não aborda o tópico ou que não tem relação com o conteúdo da página vinculada;
usar o URL da página como texto âncora na maioria dos casos (embora essa prática seja adequada em contextos como promover ou referenciar o novo endereço de um site).
Escreva textos concisos

Use um texto breve e descritivo, idealmente com poucas palavras ou com uma frase curta.

Evite:

redigir textos âncora longos, como uma frase extensa ou um parágrafo de texto.

Ferramentas para fazer auditoria a backlinks

Para fazer a auditoria de baccklinks vai precisar de usar uma ferramenta que lhe diga que links tem e onde. O google Search Console tem um relatório bem pequeno e resumido dessa informação.

As ferramentas da nossa lista poderão ajudá-lo a descobrir mais e melhor informação.

Auditoria de Backlinks

Passo 1: Compare o seu perfil com a da sua concorrência

Veja quantos links você tem versus a sua concorrência, mas é também positivo que compare os seguintes pontos:

  • Quantos links tem para a homepage
  • Quantos links são “dofollow”
  • Quantos links vem de sites de autoridade no seu ramo de negócio?
  • Quantos links são geograficamente relevantes?

Ao perceber o que a sua concorrência está a fazer pode conseguir boas ideias para aplicar estratégias semelhantes.

Passo 2: Aproveitar todos os restos

Sobretudo em sites grandes ou com muitos anos, é normal que, por vezes, alguns backlinks apontem para páginas que já não existem. Nesse caso, faça uma lista de páginas antigas que merecem ser redireccionadas de modo a não perder tráfego qualificado.

Passo 3: Encontrar links indesejados

Quando está a olhar para a lista de todos os links que apontam para o seu site procure sinais de links indesejados ou spam.

Fique atento, especialmente, para backlinks de sites de spam, links pagos e links de sites penalizados.

Assim que tiver uma lista de sites que seguramente não deveriam ter um link para o seu, seja porque o link foi pago e essa informação está no site, seja porque é um site spammy, deve entrar em contacto com o site e pedir a remoção do link.

Se sua solicitação for ignorada, você precisará rejeitar os backlinks inválidos através da Google Search Console. 

Mas, atenção!

Em um Hangout para webmasters, John Mueller, do Google, afirmou em termos claros que a “grande maioria dos sites” não precisa usar a ferramenta de rejeição (disavow file tool). Segundo JM, o Google realmente oculta a ferramenta e dificulta a localização no Google Search Console do Google de propósito.

A razão é porque a ferramenta é útil principalmente se você souber que os links são maus porque você ou seu SEO são responsáveis ​​por esses links.

Como Rejeitar Backlinks

Na maioria dos casos, o Google pode avaliar os links confiáveis sem orientações adicionais, de modo que a maior parte dos sites não precisará usar essa ferramenta.

Segundo o Google, rejeite os backlinks somente se:

você acreditar que tem uma quantidade considerável de links com spam, artificiais ou de baixa qualidade que direcionam para seu site; e
os links causaram ou provavelmente causarão uma ação manual no seu site.

Formato do arquivo de links:

Especifique um URL ou domínio a ser rejeitado por linha. Não é possível rejeitar um subcaminho inteiro, como example.com/en/.

Para rejeitar um domínio ou subdomínio, insira um prefixo “domain:”, por exemplo: domain:example.com.

O arquivo precisa ser um arquivo de texto com codificação UTF-8 ou ASCII de sete bits.

O nome do arquivo precisa terminar em .txt.

# Duas páginas a serem rejeitadas
http://spam.example.com/stuff/comments.html
http://spam.example.com/stuff/paid-links.html

# Um domínio a ser rejeitado
domain:shadyseo.com

Guest Posts e Concurso de Blogs

Os guest posts não são negativos para SEO desde que o assunto seja importante e relevante para os leitores dos sites em questão.

Porém, não abuse desta estratégia nem fique refém dela.

O mesmo para os famosos concursos de blogs somente feitos para angariar mais links. O Google não gosta disso e, na verdade, os leitores também não.

Featured Snippets: O que são e como ranquear?

Feature Snippets

Primeiro, o que são Featured Snippets? Os Featured Snippets são aqueles resultados em forma de resposta que surgem, geralmente, no topo dos resultados orgânicos do Google.

Quando um utilizador faz uma pergunta na Pesquisa Google, o Google decide se apresenta – ou não – um resultado da pesquisa em um bloco de snippet em destaque (featured snippet) especial no cimo da página de resultados.

Esse bloco de snippet em destaque inclui um resumo da resposta, extraído de uma página da Web, além de um link para a página, o título da página e o URL. Pode ainda conter uma imagem, extraída – ou não – da mesma página web.

Um snippet em destaque pode ser parecido com este exemplo na página:

Featured snippet in search results

Tipos de Featured Snippets

Existem quatro tipos principais de Featured Snippets:

  1. Parágrafo (uma resposta é dada no texto). Pode ser uma caixa com texto dentro ou uma caixa com texto e uma imagem dentro.
  2. Lista (uma resposta é dada na forma de uma lista)
  3. Tabela (uma resposta é dada em uma tabela)
  4. Vídeo (O Google dispara um vídeo do Youtube que começa exactamente no segundo em que o utilizador irá encontrar a resposta à sua pergunta)

Snippets ou caixas de resposta

Segundo um estudo do Ahrefs sobre Feauted Snippets (que eu, aliás, recomendo que se leia), 99,58% das páginas em destaque já estão no top 10 do Google.

Então, se já está a ranquear bem para as consultas de pesquisa relacionadas, tem chances muito boas de ranquear na caixa de destaque.

words trigger featured snippets

Por outro lado, a Getstat afirma que 70% dos snippets vieram de sites fora da primeira posição orgânica. Portanto, é necessário que a página esteja a ranquear entre as 10 principais, mas não é necessário que seja a # 1 para ser Featured Snippet.

A great example of a table snippet

Não é novidade que o site com maior destaque é o Wikipedia.org. Se houver a Wikipédia em destaque para a sua consulta de pesquisa, pode ser extremamente difícil superar isso – mas isso não significa que não deva tentar.

Por fim, de acordo com a análise realizada, os seguintes tipos de consultas de pesquisa obtêm resultados com mais frequência:

    • Processos de bricolage
    • Saúde
    • Financeiro
    • Matemático
    • Requisitos
    • Status
    • Transitório

O estudo da Ahrefs, com link em cima, expande a lista de tópicos populares com as suas palavras mais frequentes que aparecem nos snippets em destaque.

Palavras que disparam Featured Snippets

Os seguintes tipos de consultas de pesquisa geralmente não possuiam caixas de resposta. Mas o Google tem vindo a mudar isso:

    • Imagens e vídeos
    • Local
    • ComprasFeaturedSnippet_2.png

Responda a perguntas

Primeiro, responder a perguntas é realmente importante. Antes de mergulharmos nas técnicas de optimização, vamos falar sobre como responder a perguntas.

Se o seu conteúdo não responder a perguntas, ele não entrará no featured snippet. Isso é tudo que precisa saber. Actualize o seu conteúdo e explique tudo bem explicado com o máximo de informação possível.

Em suma, os algoritmos do Google encontram a página que parece responder melhor à pergunta do utilizador. Essa página é exibida no snippet para facilitar a vida do utilizador.

É por isso que você precisa entender as perguntas que seu público-alvo está fazendo.

Optimizar para Featured Snippet

Antes de responder a perguntas temos de saber que perguntas os utilizadores andam a fazer.

Tanto o Semrush como o Ahrefs têm uma base de dados extremamente alargada com a identificação de que palavras-chave estão a disparar featured snippets. Se para o sue mercado/negócio estas ferramentas não estejam a fazer uma procura pro-activa, pode sempre colocar as suas próprias keywords nas ferramentas e ver quais estão a disparar caixas destacadas.

Depois é criar conteúdo que responda o melhor possível a essas perguntas.

Atenção!

Se o Featured Snippet for uma tabela, o conteúdo principal do seu texto deverá ser uma tabela. Se o featured snippet na SERP do Google for um parágrafo, então a resposta às perguntas devem estar em forma de parágrafo no seu site.

E assim sucessivamente.

O Google está sempre a testar novas formas de featured snipptes. É uma questão de manter sempre um olho na página de resultados.

Porque ter um Snippet?

Você pode estar a questionar-se: devo preocupar-me em ter um Snippet ou focar os meus esforços para ter o primeiro lugar?

A resposta é: os dois!

CTR

O CTR do Feauterd Snippet (também conhecido como psição zero) tende a ser menor que o CTR da posição #1. Se ranquear bem na SERP tem maior hipótese de ranquear no Featured Snippet.

Se ranquear em #1 e no featured snippet terá cerca de 50% de hipótese de ter um clique para o seu site.

Autoridade máxima

Um dos principais factores ao se conquistar um Featured Snippet é a credibilidade que o seu site ganha. Afinal, o Google considerou-o como a melhor resposta para a dúvida do leitor.

É como se o Google dissesse para quem fez a procura: “Essa é a melhor resposta/definição! Esse site sabe do que fala”.

Saltar nas SERPs

Se não conseguir ranquear em #1, pode sempre ranquear na posição zero. Pode estar a rankear em nono e ter o seu post acima do primeiro resultado orgânico.

Excelente, não é?

Os Featured Snippets podem ser a forma mais fácil e rápida de ascensão nas páginas de resultados do Google.

Featured Snippets ajudam na pesquisa móvel e por voz

Os dados são do Google: O tráfego de pesquisa para mobile ultrapassou o tráfego de computadores, em todo o mundo.

E com o crescimento de assistentes digitais activados por voz, mais pessoas estão a realizar consultas de voz. Nesses casos, o formato tradicional “10 links azuis” não funciona tão bem, tornando os featured snippets um formato especialmente útil.

O Google diz que “é claro que continuamos a mostrar listagens regulares em resposta a pesquisas junto com trechos em destaque. Isso porque os snippets em destaque não são uma fonte exclusiva de informações. Eles fazem parte de um conjunto geral de resultados que fornecemos, fornecendo informações a pessoas de uma ampla variedade de fontes”.

Quais os nichos de mercado mais lucrativos?

Quais os nichos de mercado mais lucrativos

Depois de escrevermos sobre como criar um blog de sucesso, o nosso  email foi inundado com perguntas sobre “Qual o melhor nicho de mercado na internet?”, “Quais os nichos de mercado mais lucrativos” ou “Quais os nichos mais procurados na Internet?”.

A resposta não é fácil, mas vamos tentar ajudar…

Antes de avançar, se já tem um blog e precisa de uma Auditoria de SEO Grátis clique aqui!

Quais os Nichos Mais Procurados na Internet?

Comecemos pela pergunta onde o SEO pode rapidamente ajudar: “Quais os nichos  mais procurados na Internet?”.

Antes de avançar: nem sempre os nichos mais procurados são de facto os melhores para o seu negócio. Tenha a certeza que domína a área e que tem competência para a trabalhar. Que gosta do tema.

E sobretudo: que entende o seu público.

Veja:

Os micro nichos podem ser rentáveis, e esta é uma técnica para evitar a forte concorrência e ganhar dinheiro em nichos de mercado pouco explorados.

Ferramentas como o AHREFS ou o Semrush – ou outras ferramentas de SEO – podem ajudar a encontrar palavras-chave essenciais para entender o melhor nicho.

Para isso, sugiro a leitura de “Análise da Concorrência – Como encontrar oportunidades de crescimento“, de Morino Neto.

Há nichos de mercado que são como o vinho do Porto…quanto mais anos passam, mais apetecíveis se tornam…

Nichos internet

Outros (que não se devem pôr totalmente de lado) que vão e vêm como as marés do mar.

melhores nichos da internet

Google Trends

O Google Trends é uma ferramenta super eficaz para entender as pesquisas em determinados momentos. Por vezes encontram-se oportunidades fantásticas.

Uma dica: é normal encontrar no Google Trends oportunidades que já passaram e que se revelaram super valiosas ou com elevado potencial. Se sabe que essa oportunidade é sazonal e que irá acontecer de novo (em meses ou no próximo ano) coloque já no seu calendário e no próximo ano ataque com força.

Nichos Rentáveis Para Blogs e Sites

Escolher o nicho correcto é fundamental para ter um blog de sucesso e um negócio lucrativo. Um blog pode ser um negócio, assim como um site ou uma conta em Redes Sociais. A vantagem é que é possível criar um negócio a baixo custo, praticamente sem investimento.

Para isso é necessário escolher os nichos mais rentáveis, de outra maneira será difícil ganhar dinheiro e em breve vai perder a motivação. 

É ai que entram o Micro Nichos Rentáveis , é uma forma de “correr por fora” dos grandes blogs que já tem muita autoridade e estão no ar há muito tempo.

Basicamente vamos focar-nos em fatias de mercado sem conccorrência.

Micro Nichos Rentáveis são os nichos não-explorados pelos grandes players do mercado, por isso podem ser muito rentáveis em blogs novos ou com pouco tráfego.

Como encontrá-los? Olhe à sua volta constantemente e pergunte-se: se eu procurar conteúdo online sobre isto que vi na banca de jornais, no centro comercial, na televisão, etc, irei encontrar alguma informação?

Se a resposta é negativa, poderá ter acabado de encontrar o seu micro nicho.

O segundo passo é confirmar a demanda de procura. use o Keyword Planner, o AHREFS ou o Google Trends. Se não houver procura, esse nicho não será rentável. pode sempre trabalhar para que haja demanda, mas o esforço vai ser gigante antes de começar a ver algum lucro.

Quais os nichos de mercado mais lucrativos

Os Melhores Nichos Para Ganhar Dinheiro na Internet

Há áreas gigantes para ganhar dinheiro. Os melhores nichos para ganhar dinheiro na internet são, realmente, muito rentáveis. Mas lembre-se que irá combater contra gigantes. Será uma luta de David contra Golias. Se não quer procurar micro nichos, aqui está uma lista de nichos rentáveis que o podem fazer ganhar dinheiro na internet. (Poderá sempre tentar encontrar micro nichos dentro dos nichos maiores!)

  • Saúde

Dentre os nichos mais procurados no Google, o nicho de saúde é de longe o mais disputado, porque é muito rentável. Pense nos lucros da indústria farmacêutica. Não há dúvidas porque é que este é um dos nichos mais rentáveis da internet.

A preocupação com a saúde nunca está “fora de moda” e muitas pessoas são curiosas para saber mais sobre o seu corpo, ou sobre possíveis doenças, por isso um blog sobre saúde com um bom conteúdo original é uma óptima aposta.

  • Nicho de Emagrecimento / Beleza

Estamos no Verão (este texto foi publicado em Julho, ainda que o tempo pareça de Janeiro). Nesta altura do ano as pesquisas sobre dicas de emagrecimento e barriga lisa batem recordes.  Muitos blogs de saúde juntam emagrecimento com o seu conteúdo, por ser um vertente do assunto, e também por serem dois dos nichos mais procurados na Internet, esta combinação pode ser uma óptima forma de gerar mais dinheiro.

Quem fala de emagrecimento fala de beleza e maquilhagem… A concorrência é feroz mas ainda há micro nichos por explorar.

  • Moda Feminina

A moda está sempre em transformação. Por algum motivo, as principais “influencers” dos dias de hoje são mulheres que falam para mulheres. A procura é grande, encontree o seu nicho dentro do nicho e ataque forte. É fácil fazer dinheiro.

Procure pelos sites femininos mais visitados, verá que os temas são quase sempre diferentes (micro nichos): bebés, beleza, make up, bem-estar, fitness… E quase todos associados a moda.

  • Tecnologia

A tecnologia cresce rapidamente, novos smartphones e produtos eletrónicos são lançados todos os mês, vai ser impossível o seu blog não ter sobre o que falar, e principalmente, não ter gente à procura de saber o que está a acontecer de melhor no mundo da tecnologia.

Sites de comparação de preços e produtos são uma excelente ideia.

  • Jogos Online

Há alguns anos o mercado de “gamer” online teve um grande boom, desde então o número de pessoas interessadas neste universo, e o número de notícias, aumenta cada vez mais.

Dos mais jovens aos mais velhos há público e informação para todos os gostos. Escolha o nicho onde se sinta mais confortável.

  • Marketing

O Marketing é das áreas mais “gordas”, poderá escolher um tema mais especifico como por exemplo, o Marketing Digital, Marketing e Publicidade, Internet Marketing ou Web Marketing, Marketing de Rede ou também Marketing Pessoal. Ou, sobre SEO, cof, cof, cof.

  • Futebol

Eu diria desporto, mas em Portugal o futebol é que é o rei. Se quiser arranjar confusão, dores de cabeça, ser maltratado e ganhar dinheiro, faça um blog sobre futebol. Aliás, crie três, um tendencioso para o Benfica, outro tendencioso para o Sporting e outro que defenda o Porto. Gira os três, crie confusão, diga mal dos seus blogs nos outros blogs e rapidamente verá os lucros a entrarem.

  • Apostas Online

Este também é um nicho muito bom, e fácil de trabalhar, apesar de não ter muita procura neste momento, ainda há pessoas a tentar a sua sorte. Este é um super nicho, quando funciona, é super rentável.

  • Viagens

Turismo e viagem é um super nicho. A concorrência é pesada, mas não há impossíveis. Toda a gente gosta de viajar, mesmo não ganhando o suficiente para isso, por vezes juntamos umas economias para fazer a viajem do ano. Onde vamos procurar as viagens mais baratas? Sim, isso mesmo na Internet!

  • Jardinagem

Parece piada, não é? Descobri que este era um nicho muito forte quando ofereci no Natal um conjunto de sementes ao meu pai e ele me perguntou a melhor época para cada uma delas. A minha resposta foi simples: “Procura no Google!”.

Pois, havia poucos resultados.

  • Seguros

Todos nós precisamos de seguro uma vez na vida, nem que seja o seguro do carro, da casa, o seguro de vida, ha sempre alguém nos apresentado seguros para que se algo correr mal ha quem nos ajude.

Conteúdo de comparação de seguros e/ou preços funciona sempre.

  • Culinária

Se é apaixonado pela cozinha, terá centenas de receitas guardadas para si, porque não escrever um livro de receitas e vender?

Pode especializar-se em entrada, em pratos de carne ou de peixe ou até vegetarianos… ou só em pastelaria. Especializar-se em micro nichos, por vezes, é muito mais rentável do que atacar grandes nichos onde estão todos os tubarões.

  • Animais

Os animais estão na ordem do dia. Acredite, não há muitos blogs sobre o tema. Pelo menos, bons blogs com bom conteúdo. Este é um nicho muito interessado, poderá trabalhar em diversas áreas, desde de comida para os animais, poderá vender um produto que ensina a domesticar os seus animais.

Imagine por exemplo ensinar um papagaio a falar? Altamente lucrativo!

Qual o Melhor Nicho de Mercado na Internet?

O mais importante é procurar entre os nichos mais lucrativos da internet um onde se sinta verdadeiramente confortável. Nunca terá sucesso se não gostar do seu trabalho, daquilo sobre que escreve ou se não entender o seu público-alvo.

O melhor nicho de mercado da internet é aquele onde você consegue ganhar dinheiro. E isso é possível fazer em qualquer um. Estes são, para mim, os melhores nichos para ganhar dinheiro na Internet, mas não significa que não existam muitos outros e que não apareçam e desapareçam nichos super rentáveis a toda a hora.

Apesar de SEO ser um nicho, veja aqui quantos blogs em língua portuguesa existem sobre o tema…

 

Technical SEO: Os erros mais comuns e tão fáceis de resolver

Technical SEO erros mais comuns

O Technical SEO não é algo tão complicado depois que entendemos os básicos. Sim, ajuda se tivermos alguns conhecimentos – ainda que básicos – de HTML, php, java, etc…

Os nossos sites estão constantemente perante problemas técnicos que podem prejudicar a sua performance orgânica.

As auditorias técnicas as sites devem ser feitas de forma constante e pró-activa.

O Technical SEO base não precisa ir além de uns quantos crawls com o Screaming Frog.

Aqui pode ler como Como Fazer uma Auditoria de SEO !

Identificar erros de rastreamento com um relatório de rastreamento

Fazer um crawl, seja com o Screaming Frog, SemRush, AHREFS ou qualquer outro crawler, é o mínimo que se deve fazer a cada mês ou par de meses (sobretudo em sites com muitas páginas).

Ao fazer estes relatórios de forma periódica é possível ver e identificar os problemas técnicos mais urgentes de SEO, como conteúdo duplicado, baixa velocidade de carregamento página ou falta de tags H1 / H2.

É possível automatizar auditorias de site usando uma variedade de ferramentas de SEO e trabalhar com a lista de erros ou avisos criados pelo rastreamento.

Essa é uma tarefa na qual se deve trabalhar mensalmente para manter o site sem erros – bem, pelo menos com o menor número possível – e o mais optimizado possível.

Erros de Technical SEO Mais Comuns

  • Conteúdo Duplicado

Vamos começar com a pedrada no charco: conteúdo duplicado! Ainda que conteúdo duplicado não pareça directamente um problema técnico, de facto, muitas vezes os problemas de duplicação têm origem técnica.

O conteúdo duplicado NÃO penaliza o site.

Ou seja, o facto de ter muitas páginas duplicadas não prejudica o domínio, mas prejudica sim o alcance total das páginas que tem, uma vez que o Google irá escolher uma página para indexar e eliminar todas as demais.

As causas mais comuns passam por falta de canonical tags, criação de muitas páginas de categorias ou tags.

Duplicação de Titles, Descriptions e H1 devem ser evitadas a todo o custo

  • Páginas sem H1

É mau ter páginas com o mesmo H1, mas é igualmente mau ter páginas sem H1. o H1 é o Título na página e cada página deverá estar devidamente identificada sobre o seu conteúdo

rastreio - erros técnicos de SEO
Estudo do SemRush – Clicar na imagem para ler artigo
  • Configuração Incorrecta do www

Na altura de configurar o seu domínio pode escolher apresentar as páginas com o subdomínio www. ou sem www.

Não há penalização de usar uma ou outra forma, mas tenha a certeza que usa a mesma forma em todo o site e redirecciona a forma não usa

da para a que está activa.

O www. é considerado um subdomínio e por isso os URLs com e sem www. são vistos como páginas diferentes.

Se apresentar o conteúdo nas duas versões o Google irá considerar isso duplicação de conteúdo.

Na Googlle Search Console pode ajudar o Google a entender a qual das versões deve ser dada prioridade.

  • Optimização das Imagens

Optimizar Imagens para SEO não é simplesmente ter ALT tags. O nome do ficheiro (e respectivo URL da imagem) devem estar optimizados.

Mas isso é a parte de conteúdo. Tecnicamente falando, lembre-se que quase todos nós acedemos à net – cada vez mais – através de smartphones.

Imagens muito pesadas e que demoram a carregar vão estragar a usabilidade e prejudicar na hora de ranquear.

  • Cadeia de Redireccionamentos

Criar redireccionamentos ajuda a não ter links quebrados no site. Porém, ao fim de alguns meses (anos?) encontramos situações onde o antigo URL A redirecciona para o B que agora redirecciona para C que por sua vez resolve em D.

A isto chamamos cadeia de redireccionamentos e, como já deve estar a perceber, devem ser corrigidos.

Se A tem mesmo que ser redireccionado então deve ser redireccionado para D. E quanto a B? Bem, é mesmo neccessário manter B? Há backlinks para B? Há inlinks para B? Há alguma razão para manter B?

Se sim, então B deve ser redireccionado para D, caso contrário podemos eliminar o redireccionamento.

Já agora falemos de loops!

Ou seja, A redirecciona para B e B para C e C para A… o site nunca irá abrir. O Screaming Frog tem um relatório específico para estas situações.

É fácil de encontrar estes problemas.

  • 404 – páginas não encontradas

Um dos piores erros que pode existir: uma página que não abre. Quando nosdeparamos com um 404 temos de perceber alguns pontos:

  1. Queremos mesmo que
  2.  esta página resolva 404? – Se sim, então devemos remover todos oos inlinks do nosso site;
  3. Este é um conteúdo que existiu mas foi removido de vez para nunca mais voltar? Se sim, talvez devessemos considerar aplicar um código 410 e remover todos os inlinks.
  4. Há uma outra página que pode responder aos interesses dos usuários e que substitua esta? Se sim, talvez devessemos redireccionar (301) ou mudar directamente os inlinks
  5. É uma página que está temporariamente fora do ar? Se sim, talvez possamos redireccionar (302) para uma página que responsa aos interesses do utilizador ou para a homepage.
  • Links internos com “nofollow”

Qual o interesse de ter links internos que não queremos que o Google não siga?

Porquê não passar “juice” de uma página para outra? Bem, se realmente há uma razão, então bom trabalho.

De outra forma, os inlinks devem ser todos “follow”.

Problemas SEO tecnico Sitemap
Clicar na imagem para ler “40 Erros Técnicos de SEO – Pesquisa da SEMrush”
  • Sitemap

O sitemap é fundamental para o Google descobrir todas as suas páginas e entender a estrutura do seu site.

Além do mais, se dividir o seu sitemap por grupo de páginas poderá entender  que páginas o Google indexa melhor e quais o Google gosta menos.

Não tente contabilizar os ganhos de ter ou não um sitemap. Está a perder dinheiro enquanto tenta justificar o investimento. Se usa wordpress, veja aqui os melhores plugins para wordpress.

Ter páginas bloqueadas por robots.txt ou com tag no-index no sitemap não é boa prática.

Tenha a certeza que o Google encontra o seu sitemap e que ele está bem configurado.

  • HREFLANG

Para sites com versões em diferentes idiomas é nececssário ter as hreflang tags bem definidas. Tenha a certeza que as páginas apontam para as equivalentes em cada idioma. Seja em html ou no sitemap.

Erros no ficheiro robots.txt podem causar problemas de indexação. Tenha a certeza que o seu ficheiro está correcto, no formato correcto, que o Google o consegue encontrar e que está submetido no Google Search Console.

Se tiver dúvidas, pode ler aqui como forçar o Google a fazer o crawl do site.

technical SEO - Problemas velocidade página
Clique na Imagem para ver o relatório do Semrush
  • Velocidade de carregamento da página

Uma página que demora mais de 3 ou 4 segundos a carregar/abrir é uma página que potencialmente irá trazer problemas aos seus utilizadores. Sobre a velocidade dos sites pode ler estes artigos:

  1. Como deixar um site em WordPress mais rápido
  2. SEO Mobile, Mobile Speed, AMP e PWA
  • Páginas AMP sem canonical tag

Este é um erro menos comum – até porque a implementação de AMP não é tão usual – mas serve para fechar esta lista não exaustiva de erros técnicos.