7 Factores de Ranqueamento para 2020

As procuras por factores de ranqueamento em SEO atingem máximos. E nada melhor do que fazer um apanhado de boas práticas antes de começar o novo ano.

Aparecer nas primeiras posições  do Google é cada vez mais importante – uma vez que o motor de busca da gigante americana aposta cada vez mais em resultados pagos e em resultados da própria empresa. Um escândalo que nenhuma autoridade teve ainda coragem de travar.

Alcançar o primeiro resultado orgânico não é um trabalho fácil. É preciso entender o Google e depois convencer chefes e gestores sobre a melhor estratégia.

O Google tem mais de 200 factores de ranqueamento! É impossível trabalhar todos, então temos que nos focar nos maos importantes. Se tiver curiosidade tem aqui uma lista antiga de todos os factores.

Factores de Ranqueamento para SEO em 2020

Conteúdo optimizado

Conteúdo optimizado há muito que não tem que ver somente com palavbras-chave. O algoritmo de busca do Google tenta entender se as palavras de proocura estão no conteúdo, mas também tenta entender a intenção da procura.

Pense que informação o utilizador está à espera de encontrar e providencie o máximo de informação possível, da melhor forma possível. Esta melhor forma pode passar por muito mais do que texto corrido. Pode ser:

  • Tabelas
  • Vídeos
  • Infográficos
  • etc

A quantidade de informação importa, mais do que o tamanho do texto. O Google interessa-se e valoriza mais conteúdos de qualidade e extensos – que respondam na totalidade às expectativas dos utilizadores.

Velocidade de carregamento

Com o mundo a mover-se no sentido dos dispositivos móveis, a velocidade de carregamnento da página é um dos principais factores de SEO. O Google está sempre em busca de aprimorar a experiência do utilizadore, por isso tende a mostrar primeiro os sites que carregam mais rápido.

Use o Page Speed Insights, ferramenta gratuita do Google, para medir a velocidade da sua página. Se o tempo de resposta for acima de 3 segundos, considere fazer optimizações no seu site.

Olhe para as imagens do seu site. Evite utilizar ficheiros png. Imagens em formato Webp podem ser uma forma interessante de optimizar as suas imagens. Confirme os ficheiros css e JavaScript. É possível optimizá-los? Tem ficheiros quebrados ou que podem ser eliminados?

Responsividade

Mas não é só da velocidade que se vive do mobile. Ter um site compatível com dispositivos móveis é fundamental para ranquear no Google. Há ainda muitos sites que não estão preparados para dispositivos móveis ou que têm páginas separadas. Tente corrigir essa situação sempre que possível.

Outro erro comum é esconder na versão mobile conteúdo e código essêncial que existe em desktop. O Google analisa a maioria dos sites com o bot mobile. Se há partes do site que não aparecem em mobile o Google irá prejudicar os seus resultados.

Mais de metade do tráfego da web tem origem em dispositivos móveis, seguido por desktop (que já só representa cerca de 40%) e tablet (10%).

Não basta somente ter um site amigável para mobile; é importante que o redimensionamento seja inteligente para caber automaticamente no ecrã do dispositivo, que as fontes utilizadas sejam em tamanho que facilite a leitura e que o conteúdo não seja ocultado por anúncios ou popups complicados de fechar.

Links

Ter links em outros sites a apontar para o seu continua a ser importante, sobretudo se o seu site entrar na categoria YMYL: sites de finanças, e-commerce, noticias, saúse, etc…

A autoridade da página é uma combinação de conteúdo de qualidade, links internos e backlinks: também conhecido por E-A-T.

Pode utilizar o GSC para ver os links que apontam para o seu site. Ou então, utilizar o SemRush ou o AHREFS.

Os links são factores cruciais para o ranqueamento no Google. Construa um conteúdo com links internos e externos e desenhe uma estratégia para conseguir backlinks em sites de qualidade.

Google Featured Snippet

Além dos resultados pagos, dos resultados do próprio Google, o motor de busca também dispara Featured Snippets. Uma espécie de caixa com parte do texto como resultado de uma procura. É a chamada “posição zero”, ocupada geralmente por listas, receitas, tutoriais e tabelas. Para conseguir esse lugar, você precisar responder perguntas, formatar correctamente os títulos, fazer listas ou tabelas.

Apostar nessa estratégia pode resultar em mais tráfego devido à melhoria do CTR.

Trabalhe a sua Marca

Vários estudos demonstram que quanto mais pessoas procuram pela sua marca e entram no seu site directamente melhores são os seus rankings e resultados de SEO.

Ao mesmo tempo, quanto melhor as pesoas conhecerem a sua marca, mais facilmente verá as suas páginas partilhadas nas redes sociais. Ou seja, uma boa de neve de b ons sinais para o Google.

O motor de busca percorre constantemente a web à procura de ver o que as pessoas dizem da sua marca. Quanto melhor for a sua reputação online, melhor serão os seus rankings.

Usabilidade

optimizar o seu site para conversão: seja compra, tempo de leitura, clique num determinado link ou a visualização de um vídeo. Independentemente do seu objectivo, tenha a certeza que facilita a vida ao utilizador, para que ele seja capaz de alcançar o objectivo final.

Esta técnica de SEO para blogs tem a ver com a experiência do utilizador dentro do site. Esse fator de ranqueamento é medido por três índices: visualizações de página, taxa de rejeição e tempo de permanência.

Visualizações de página

Número de vezes que uma página foi acedida. A cada vez que um mesmo utilizador entra na página, é contada uma nova visualização.

Taxa de rejeição

A rejeição é quando um utilizador entra na página e sai em seguida, sem clicar em lugar algum. O cálculo da taxa é feito dividindo as sessões de página única por todas as sessões.

Tempo de permanência

É o tempo médio que os utilizadores ficam em uma página específica. Este indicador está bastante ligado à experiência do utilizador.

Básicos de SEO

  1.  Keyword no URL da página – Utilizar a palavra-chave principal no URL e nos breadcrumbs da página é importante para que Google e utilizador entendam que página estão a visitar.
  2. ccTLD correcto – Se está em Portugal e o seu público-alvo está em Portugal, então utilize um site .pt, mas se o público for brasileiro e quiser ranquear no Brasil deverá utilizar um domínio .com.br. Sites internacionais poderão utilizar .com
  3. Palavra-Chave no Título – ter a palavra-chave o mais à eaquerda possível no título continua a ser uma boa prática e um dos factores de ranqueamento.
  4. Optimizar Alt text – As imagens deverão ter alt text descritivas e com keywords.
  5. Conteúdo verdadeiro e de confiança – Cite estudos, outros sites, outras pessoas… mostre que o que está a dizer pode ser comprovado. Partilhe o máximo de informação possível com o máximo de fontes possíveis quando estiver a escrever sobre um tema.
  6. Internal linking –  Qual a relação entre as páginas do seu site? Ter uma boa estrutura de links ajuda o Google e o utilizador a melhor navegar no seu site e a melhor entender a relação entre páginas e temas.
  7.  HTTPS – O protocolo de segurança é uma mais-valia tanto para o utilizador como para os seus rankings no Google.

E procuras por voz?

As pesquisas por voz estavam na lista de foco para 2018 e 2019, mas a indústria tem mostrado que o valor deste segmento ainda não compensa o investimento.

Aqui deixo um artigo porque acho que não nos devemos preocupar com pesquisas por voz, por enquanto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *