HTTP chega ao fim em Julho – para o Chrome

O anúncio é do Google: depois de Julho, irá ver um alerta quando os visitar páginas HTTP. É o passo já há muito esperado e que abre a portas à web https.

Nos últimos anos, o Google tem avançado para a promoção de uma web mais segura, defendendo fortemente que os sites adoptem criptografia HTTPS. “No último ano, também ajudámos os utilizadores a entender que os sites HTTP não são seguros ao marcar gradualmente um subconjunto maior de páginas HTTP como ´´não seguro´´. A partir de Julho de 2018 com o lançamento do Chrome 68, o Chrome marcará todos os sites HTTP como ´´não seguro´´”. A declaração pode ser lida na íntegra no blog sobre segurança do Google.

 

No Chrome 68, o omnibox exibirá a mensagem “Não seguro” para todas as páginas HTTP. Todas as páginas que já migraram para HTTPS estão, por isso, fora deste alerta. Segundo dados do Google, desde o ano passado e apenas em um ano:

  • Mais de 68% do tráfego do Chrome no Android e no Windows agora está protegido
  • Mais de 78% do tráfego do Chrome no Chrome OS e no Mac agora está protegido
  • 81 dos 100 melhores sites na web usam HTTPS por padrão

“O Chrome é dedicado a tornar o mais fácil possível configurar o HTTPS. As auditorias de conteúdo misto estão agora disponíveis para ajudar os desenvolvedores a migrar os sites para o HTTPS na versão mais recente do Nodo CLI do Lighthouse, uma ferramenta automatizada para melhorar as páginas da web. A nova auditoria no Lighthouse ajuda os desenvolvedores a descobrir quais recursos um site carrega usando o HTTP e qual deles está pronto para ser actualizado para HTTPS simplesmente alterando a referência para a versão HTTPS”, pode ler-se na página da gigante americana.

Porém, o anúncio do Google não aborda explicitamente se as páginas mistas seguras/inseguras activarão o aviso. Mas podemos assumir que esses tipos de páginas que exibem uma mistura de conteúdo seguro e inseguro irão desencadear um aviso.

O impacto será mais intenso em alguns países do que em outros. Mas mesmo em países onde o uso do Chrome é baixo, isso ainda representa 39% dos utilizadores da Internet.

A necessidade da actualização para o HTTPS é especialmente importante em regiões como a América do Sul, onde o uso do Chrome representa 74,04% e Israel, onde 66,77% do tráfego da Internet está no Chrome.

Queria ser Jornalista, mas fugi para o Marketing e dei por mim a trabalhar como SEO. Em agência ou in-house, já trabalhei com projectos do Spotify, Telepizza, Amazon, Hostelbookers, Hostelworld, 360imprimir ou EF Education First. Sonho um dia ainda voltar a Portugal e viver do Marketing Digital. Fundei a SEOPortugal para ajudar a divulgar o SEO e partilhar algum conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *